Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Novamente Geografando

Este blog organiza informação relacionada com Geografia... e pode ajudar alunos que às vezes andam por aí "desesperados"!

Incumprimento da política do filho único já rendeu €2,3 mil milhões à China este ano

Mäyjo, 12.01.14

Incumprimento da política do filho único já rendeu €2,3 mil milhões à China este ano

 

Desde o início do ano, o Governo chinês já arrecadou cerca de €2,3 mil milhões em taxas de apoio social, como são oficialmente denominadas. Estas taxas são, na verdade, multas aplicadas aos casais que não cumprem a política do filho único.

Em Pequim, por exemplo, estas multas ascendiam, em média, a €29 mil por cada filho a mais, de acordo com o China Economic Weekly, embora as multas possam atingir o valor máximo de €130 mil.

No último ano, o Governo chinês arrecadou perto de €2,2 mil milhões em multas. A maior percentagem deste valor – cerca de €1,9 mil milhões – veio de 17 das 31 províncias da China, segundo uma investigação conduzida por Wu Youshui, um advogado. Porém, existem três províncias que se destacam: Jiangxi, com €405 milhões, Sichuan, com €290 milhões e Guangdong, com €176 milhões.

O valor das multas, de acordo com o estipulado pelo Governo central, deve ser utilizado na melhoria dos serviços sociais, já que um maior número de pessoas requer mais dos serviços sociais, em teoria. Porém, as auditorias realizadas por Wu revelam que não é isso que está a acontecer.

“Nem uma província pode fornecer informação acerca do uso e auditar as multas”, indica Wu, citado pelo Quartz. Numa investigação anterior, o advogado chinês descobriu que a maior parte das multas cobradas vão para os bolsos das autoridades locais de cada província.

Recentemente, recorde-se, a China suavizou a política de natalidade vigente no país, que permitia apenas um filho por casal, com excepção para os casais em que os dois membros são filhos únicos, que estavam autorizados a ter dois filhos. A nova política de planeamento familiar vai agora permitir aos casais, em que um dos cônjuges seja filho único, a possibilidade de terem até dois filhos.

 

Foto:  jadis1958 / Creative Commons

Estudante espanhol idealiza cidade auto-sustentável e com “pernas”

Mäyjo, 12.01.14

Estudante espanhol idealiza cidade auto-sustentável e com “pernas” (com FOTOS)

 

Actualmente, as pessoas vivem estilos de vida cada vez mais flexíveis e as cidades começam a enfrentar situações que até agora não se constituíam como um problema – a migração para grandes centros urbanos, onde os recursos e o trabalho são abundantes.

Imagine agora uma cidade sustentável com “pernas”, que se pudesse deslocar em busca de melhores condições de vida, trabalho e recursos. A ideia pode parecer um pouco estranha, mas é a tese de Manuel Dominguez, um estudante da Escola Técnica Superior de Arquitectura de Madrid.

“Queria uma gestão territorial construída entre a matéria e a energia, que possa trazer vários efeitos positivos”, afirmou o estudante ao Daily Mail Online. “Nestes efeitos incluem-se o reequilíbrio da população entre os espaços rurais e urbanos, a renovação do ambiente e a possibilidade de novos postos de trabalho”, acrescenta.

Baptizada de “Very Large Structure” (“Estrutura muito grande”), a cidade nómada idealizada por Dominguez seria idêntica às cidades comuns: com restaurantes, bares, serviços, hospitais, bibliotecas, universidades, com a excepção de que se poderia movimentar pelo globo.

Na concepção do arquitecto madrileno, a cidade nómada usaria um sistema de locomoção semelhante ao dos tanques de guerra, mas em maiores dimensões, para que se pudesse mover para áreas onde os recursos e o trabalho fossem abundantes.

Ainda que possa ser uma ideia bizarra, Manuel Dominguez garante que o projecto é “teoricamente” viável. “Acredito que possa existir no futuro, ainda que noutra escala”, refere o mentor da “Very Large Structure”.

A ideia do estudante de arquitectura é baseada na “Walking City” (“Cidade Andante”) de Ron Herron, projectada nos anos de 1960, com a diferença de que a “Very Large Structure” seria energeticamente sustentável e ecológica, uma vez que utilizaria turbinas eólicas, painéis solares, entre outras formas de energia renovável.

 

in: Green Savers